FM Liberdade

quinta-feira, 23 de julho de 2015

CONVITE!!!


quarta-feira, 22 de julho de 2015

Ex deputada Larissa Rosado tinha salário de R$ 205.958,00 na APAMIM, diz Caged

Entre os mais de 300 servidores da Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e à Infância em Mossoró (APAMIM), pelo menos 34 tinham supersalários, entre eles a ex-deputada estadual Larissa Rosado, com salário de R$ 205.958,00. 
Os 34 “servidores”, juntos, ganhavam R$ 4.655.000,00/mês, enquanto que a folha de pagamento/mês dos servidores reais da APAMIM (cerca de 300) não chegava a R$ 600 mil.
O salário de marajá da ex-deputada não era o maior dentro da APAMIM, que passava sérias dificuldades para pagar os servidores reais. Havia um salário de R$384.663,00. (Veja print do relatório do MP).
A planilha com os 34 nomes com salários muito acima do que APAMIM podia pagar foi descoberto pelos promotores de Justiça do Ministério Público Federal, Estadual e do Trabalho, durante operação policial dentro APAMIM em agosto de 2014.
As informações contidas na Planilha de Servidores da APAMIM foram confirmadas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho, em Brasília.
Como o faturamento junto ao Sistema Único de Saúde (SUS) era em média R$ 700 mil, como a então presidente da APAMIM, Maria Vania Azevedo Moreira, pagava a folha que passava de R$ 5 milhões, e custava a manutenção da então Casa de Saúde Dix Sept Rosado?
Antes de responder estas perguntas é preciso explicar primeiro que os promotores de Justiça descobriram também que não acontecia assembleia geral e nem extraordinária dos Sócios da APAMIM e que as atas eram preenchidas e quem assinava eram os funcionários.
Portanto, ressalta os promotores, Maria Vania Azevedo Moreira não havia sido legalmente eleita presidente da APAMIM e sim quem realmente decidia e mandava em tudo na APAMIM/CSDR era o grupo político do ex-deputado federal Laire Rosado Filho, que de fato aparece na Receita Federal como presidente da entidade.
Os promotores observam que atualmente o Hospital Maternidade Almeida Castro administrado pela Junta Interventora Federal, usando recursos do SUS e a mesma parceria com a Prefeitura Municipal de Mossoró, funciona bem, tem estoque de medicamentos e materiais de consumo, assim como está reestruturando e ampliando os serviços maternos infantis e também hospitalares da unidade.
“Todo mês reservamos um valor para reestruturar e ampliar os serviços oferecidos. Agora estamos concluindo os trabalhos para prestar serviços aos Planos de Saúde e também particular. O que vamos faturar, vamos reinvestir na estruturação”, explica Larizza Queiroz, coordenadora da Intervenção na APAMIM/HMAC.
Como se pagava os supersalários
Enfim, como Maria Vania Azevedo Moreira e Laire Rosado Filho pagavam uma folha superior a R$ 5 milhões faturando menos de R$ 700 mil do SUS? Primeiro é preciso ressaltar que os 34 nomes identificados pelos promotores de justiça com altos salários não trabalhavam. É o caso da ex deputada estadual Larissa Rosado.
Na verdade, os promotores suspeitam que os salários destes 34 servidores não eram pagos. Deixava-se atrasar. Em 2008, 2010, 2011, 2012, 2013, os sócios da APAMIM teriam se reunido e aprovado empréstimos em vários bancos para pagar os servidores.
Entretanto, estas autorizações não existiam. As atas eram forjadas. Os promotores de Justiça descobriram a então “direção” da APAMIM preenchia o documento com o que se precisava (fazer o empréstimo) e colocava para os servidores da maternidade assinar, como se fosse os sócios, autorizando os empréstimos para pagar parcelado com recursos do SUS.
Para conseguir as certidões negativas juntos a Receita Federal (recolhiam os tributos dos servidores e não repassava para o INSS e FGTS), a direção da APAMIM ia lá e negociava os débitos milionários, pagando a primeira parcela somente para ter a certidão negativa temporária. Assim tinha o nome limpo para pegar os empréstimos milionários.
Estes valores tomados emprestados nos bancos variavam de R$ 150 mil a R$ 9 milhões, conforme fica claro nas colocações do Ministério Público Estadual em processo pedindo a fim da APAMIM.
Se por um lado entravam milhões e mais milhões oriundos de empréstimos junto a várias instituições bancárias e também agiotas para pagar com recursos do SUS repassados pelo Governo Federal para a APAMIM, por outro lado faltavam tudo na então CSDR, administrada pela APAMIM.
Até as seringas eram reutilizadas.
Os promotores desconfiam que estes milhões eram usados para pagar o supersalários nas épocas de campanha. Por exemplo: pagando-se 10 salários “atrasados” de Larissa Rosado, já se tinha R$ 2,05 milhões. Como haviam 34 pessoas com supersalários, desvia-se quase que todos os recursos pegos emprestados nos bancos e colocado para o SUS pagar parcelado. Todos estes detalhes estão sendo transformados em processos nas promotorias de Justiça.
 Outro fator comprovado pelos promotores, foi que a então presidente da APAMIM, Vania Maria Azevedo, estava ocupando o cargo ilegalmente, ou seja, teria sido eleita presidenta da entidade do mesmo jeito que se conseguia autorização dos sócios para fazer empréstimos: forjando atas como se tivesse ocorrido assembleias extraordinárias.
Outro lado
A reportagem tentou ouvir a ex deputada Larissa Rosado sobre as acusações dos promotores de Justiça do Ministério Público Estadual, Federal e do Trabalho, porém os contatos não houve resposta. O Espaço está aberto para as considerações da ex deputada no caso de assim desejar.

FONTE: MOSSORÓ HOJE
IMAGENS: MOSSORÓ HOJE/REPRODUÇÃO INTERNET

TERMINA NESSA SEXTA PRAZO PARA SE INSCREVER NO LEDOC

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) vai realizar processo seletivo para preenchimento de vagas destinadas ao Curso de Extensão em Educação do Campo para graduandos da Licenciatura Interdisciplinar em Educação do Campo da Ufersa, bem como, para Professores e Profissionais da Educação, da Rede Pública de Ensino e para o público em geral, ligado aos povos do campo. Serão ofertadas 180 vagas distribuídas entre os graduandos da Licenciatura Interdisciplinar em Educação do Campo, para professores e profissionais da Educação Básica que atuam na Educação do Campo da Rede Pública do Estado do Rio Grande do Norte.

As inscrições serão realizadas pela internet no período de 22 de junho a 24 de julho. Para se inscrever o candidato deverá enviar um e-mail para: editais.nead@ufersa.edu.br com o  assunto Seleção Extensão em Educação do Campo,  contendo no corpo do e-mail o nome do candidato, além de enviar em anexo cópias digitalizadas da documentação exigida. Caso o candidato não possua e-mail, deverá comparecer com a documentação no Núcleo de Educação à Distância da Ufersa, câmpus leste, no horário de 7h30 as 11h30 e de 13h30 as 17h30.
O curso tem como objetivo contribuir com a formação continuada de professores e profissionais, que atuam na Educação do Campo, assim como na formação inicial de professores. Buscando a melhoria da Educação do Campo, fundamentada as suas especificidades, contextualizada às realidades das suas populações e de conformidade com as Diretrizes Operacionais para as Escolas do Campo. O curso será ofertado na modalidade presencial pela LEDOC e fomentado pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI/MEC).

terça-feira, 21 de julho de 2015

RESULTADO DAS PROVAS PARA O CONSELHO TUTELAR EM UPANEMA

A Comissâo Especial do Processo de Escolha Unificada do Conselho Tutelar, torna público o resultado do Exame de Conhecimentos Específicos, referente ao processo de escolha do Conselho Tutelar de Upanema/RN.
  1. Resultado da correção dos gabaritos do Exame de Conhecimentos Específicos, contendo 20 (vinte) questões, valendo no total 10 (dez) pontos, sendo 0,5 (cinco décimos) cada questão:
Candidato
Total de questões CERTAS
Total de pontos
Francinete Pereira da Silva Nunes
20
10    dez)
Cecília Maria Fernandes da Silva
17
8.5  (oito e meio)
Jullys Pliego Barbosa de Medeiros
17
8.5 (oito e meio)
Rodrigo Freire da Silva
16
8.0  (oito)
Juliana Priscila Costa Medeiros de França
15
7.5  (sete e meio)
Maria das Graças da Silva Santos
15
7.5  (sete e meio)
Maria Núbia da Silva Costa
15
7.5  (sete e meio)
Sara Pereira Jesuíno
15
7.5  (sete e meio)
Silaneide Batista da Silva Santos
15
7.5  (sete e meio)
Neurivan da Silva Melo
14
7.0  (sete)
Maria Gilvanete da Silva Fernandes
10
5.0  (cinco)
Dulleyme Mônica Macêdo de Mendonça
09
4.5  (quatro e meio)
Luiza Medeiros de Carvalho
09
4.5 (quatro e meio)
Raimunda Maria da Silva Fernandes
06
3.0 (três)

2. O Exame de Conhecimentos Específicos tem caráter eliminatório, devendo o pré candidato obter 50% (cinquenta por cento) de acertos no referido exame, para se habilitar à fase seguinte prevista no edital 001/2015 – COMDICA.
3. Assim, os candidatos que não houverem atingido 50% de acertos, ou seja, 10 questões no mínimo, estão eliminados do Processo Eleitoral.
Upanema/RN, 21 de julho de 2015.

INTERNET CHEGA A VÁRIAS ESCOLAS DA ZONA RURAL DE UPANEMA

IMG-20150709-WA0001Informações extraídas do Censo da Educação Básica de 2013, realizado pelo Ministério da Educação, apontaram que 48% das escolas públicas ainda não tinham computadores para uso discente; 50,3% tinham acesso à internet, exista apenas um computador para cada 34 alunos e a banda larga estava presente em 40,7% das unidades escolares.
Os números mostram que o Brasil ainda precisa avançar muito para garantir a todos os estudantes a inclusão digital na escola.
Em muitos municípios brasileiros os índices são bem superiores à média nacional. Em Upanema, por exemplo, o acesso ao mundo digital agora está sendo possível até nas escolas da rede municipal de ensino localizadas na zona rural. E com banda larga.
IMG-20150706-WA0002Das sete escolas fora do eixo urbano, seis foram contempladas com internet banda larga numa parceria da Prefeitura de Upanema com o programa “Escolas Rurais Vivo/Telefônica”.
Os equipamentos que estão trazendo o mundo para mais perto do “campo” já foram instalados nas escolas municipais Vicente de Paula Rocha (Sitio Pereiros), Luzia Miguel de Albuquerque (Projeto de Assentamento Bom Lugar I), 13 de Maio (Projeto de Assentamento Palheiros III), Armando Barbalho (Sitio Bom Jesus), Rita Dantas Veras (Projeto de Assentamento São Manuel I) e Maria Antônia Bezerra (Projeto de Assentamento Monte Alegre).
A partir de agora, cerca de 600 alunos que estudam nessas escolas passam a ter acesso a internet. Alunos de outras escolas que moram nas localidades rurais dessas unidades escolares e nas adjacências também poderão acessar a internet para fazer pesquisas e trabalhos escolares.
A diretora da Escola Municipal Vicente de Paula Rocha, Raimunda Nonata, acompanhou de perto todo o processo de instalação dos equipamentos e comemorou a sua chegada. “A nossa escola tem melhorado muito ultimamente e, agora, com a instalação dessa banda larga, teremos mais uma fonte informação para pesquisa de nossos alunos”, ressaltou.
IMG-20150709-WA0004O professor Cláudio Antônio Silva de Oliveira, da Escola Municipal Maria Antônia Bezerra, também exaltou a importância da ferramenta da internet para o desenvolvimento dos seus alunos. “A internet venho trazer avanços para a comunidade escolar, porque a gente sabe que o acesso à internet numa comunidade rural é bastante difícil e com esse advento teremos a oportunidade de acesso do aluno as informações e também a pesquisa”, destacou.
Para a secretária municipal de Educação, Cultura e Desporto, Simone Bezerra, a chegada da internet banda larga nas escolas da zona rural é mais uma vitória para todos que defendem a educação.
Simone destacou que a Escola Municipal Maria Gorete, a maior da cidade e localizada na zona urbana, já conta com internet à disposição de toda a comunidade escolar. “Agora, estamos com quase toda a rede municipal de ensino com internet, o que é muito importante para o desenvolvimento da educação”, ressaltou.
A secretária acrescentou que o Município tem feito o possível para melhorar a qualidade da educação, já tendo, inclusive, instalado centrais de ar nas escolas Maria Gorete e Vicente de Paula Rocha, essa localizada na zona rural. “A prefeitura tem melhorado a estrutura das escolas e dado o devido reconhecimento aos profissionais, por meio do pagamento do piso e da implantação do plano de carreira, apoio a formação continuada, entre outras ações, para que a comunidade escolar possa melhorar a qualidade da educação oferecida na rede municipal de ensino”, concluiu Simone Bezerra.